Mostrar mensagens com a etiqueta Pensamento da noite. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta Pensamento da noite. Mostrar todas as mensagens

quarta-feira, 28 de março de 2018

Mudar*


Há alturas na vida em que precisamos de mudar de (l)atitude. Ter essa coragem. Precisamos sair um bocadinho da nossa zona de conforto e aceitar que o princípio também pode ter fim. Abrir os braços aos recomeços, agradecer por tudo o que temos e desejar que a vida (tão sábia e previdente) nos conduza sempre pelo melhor caminho. É preciso ter humildade para admitir que não estamos sempre certos e que pedir desculpa por erros e falhas é sinal de maturidade e não de fraqueza. E depois deste exercício urge virar a página e seguir em frente.
É que uma mudança, naturalmente imposta por outras mudanças, é um momento de renovação. E para a viver em pleno e aproveitar tudo o que tem para nos dar é preciso parar de olhar para trás, projectar o olhar no horizonte e confiar no que está por vir. Com fé, muita fé. Fé em nós, nos outros e em tudo o que de bom merecemos receber.

Via : às nove no meu blogue

Eu não viajo para fugir da vida, viajo para a vida não fugir de mim.


sexta-feira, 16 de junho de 2017

Tu queres, mas tens medo.


Por um lado queres, por outro, tens medo. Tens medo do risco, tens medo do mergulho rumo ao desconhecido. O que deves fazer, então? Primeiro que tudo: Perceber porque é que queres. Porque é que tens necessidade de que este desejo se concretize. É porque queres ser aceite? É para te sentires mais seguro? É para seres mais feliz? Para fazeres desaparecer essa insatisfação? 
Pensa: não há nada que venha de fora que te possa trazer felicidade plena.O segredo é: sempre que desejares fazer algo porque te sentes mal, arranja maneira de te sentires bem. Arranja forma de ficares melhor. Medita, faz terapia, vem cá acima, chora, faz qualquer coisa para internamente te sentires bem. Depois… depois que tiveres melhorado, que te sentires equilibrado e feliz,pensa: «Ainda quero avançar com esta questão?» Nessa altura já escolheste. Se a resposta for negativa é porque o que tu querias era uma acção de fora para melhorar internamente. É claro que não ia resultar, pois estavas a fugir,não irias ao fundo da questão. 
Ao obrigares-te a ficar bem com meditação, interiorização, o que quer que seja, estás a validar um dos mais altos preceitos do céu. Tudo se cura de dentro para fora, do interior para o exterior, e não o contrário. Se a resposta for «não», livraste-te de uma acção estéril, que não iria servir-te para nada,
a não ser para fazer-te perder tempo. 
Mas se a resposta for «sim», se, apesar de já estares bem, ainda desejas avançar, aí o caso muda de figura. Trata-se de uma intuição. Trata-se de uma comunicação com o céu. Trata-se de algo que confere com a tua energia original. Podes avançar, pois por mais difícil que seja essa jornada,
ela nunca te afastará do teu caminho original, pelo contrário, irá participar no enriquecimento da tua vida interior.

Daqui

quinta-feira, 11 de maio de 2017

Gosto quando consigo ouvir o meu eco ou de quando o silêncio se ouve mais alto.


Prezo demasiado o meu canto, a minha pequena (in)sanidade com o meu cheiro, as minhas coisas e aquele misto de exaustão e prazer ao final do dia em que me atiro para cima da cama a fitar o tecto à procura de nada.

by Ana, Dona do Café

domingo, 26 de março de 2017

Pensamento da noite


Venho observando que de uns tempos pra cá surgiu uma nova filosofia de vida na qual as pessoas não sofrem mais.Ninguém mais fica na fossa por causa do ex, logo posta uma foto pra mostrar que a fila anda e que tudo na vida passa. Bad por causa de ficante então, nem pensar. Nesse caso é fazer post motivacional e bola pra frente.Não existe viagem ruim, trabalho chato, escolhas erradas. O segredo da felicidade é ficar bem nas redes sociais, praticar a gratidão, namastê e good vibes.Nada contra ser grato. Realmente acredito que precisamos agradecer, já que todo acontecimento na nossa vida carrega em si sua razão de ser. Mas às vezes me sinto dentro daquele poema de Pessoa que diz que “Nunca conheci quem tivesse levado porrada. Todos os meus conhecidos têm sido campeões em tudo”.E na minha versão moderna, eu que nem sempre sou santa e nem sempre acordo de bom humor. Que fico de ressaca no final de semana porque misturei cerveja e catuaba, que choro de saudade de ex-namorado e sinto inveja da Kim Kardashian, chego à conclusão de que ando sendo humana demais em tempos que não permitem que sejamos assim.Mas a verdade é que às vezes queremos tanto ter uma vida perfeita que sufocamos a dor, sem considerar que ela existe por um motivo. Quando você quebra uma perna e vai se mover, ela dói pra te mostrar que seu corpo precisa de repouso pra se recuperar. E com nosso coração não é diferente. Negligenciar a dor e tentar parecer bem só servem pra adiar o crescimento que ela poderia trazer.Ficar mal, sentir raiva, saudade, inveja, querer se vingar e depois desistir e, não agir sempre com superioridade, às vezes é necessário. É humano. É aceitável. São coisas ruins a serem vividas antes de superadas e podem trazer um conhecimento incrível sobre nós mesmos.Somos apenas pessoas tentando pagar os próprios boletos e sobreviver em meio à falta de empatia e o aumento da inflação. Levantamos diariamente com a missão de resistir até o final do expediente e existir na medida do possível assim que ele acabar. Andamos pela cidade esbarrando nos outros com tanta frequência que nos esquecemos que cada um carrega consigo um eu quebrado pelos tombos da vida e constantemente em construção. E assim, cobramos dos outros uma maturidade que muitas vezes beira a hipocrisia.Precisamos parar de tentar exibir embalagens intactas quando o conteúdo delas não anda lá tão perfeito assim. Em terras de Instagram quem leva a vida sem filtro é rei, então pra que se contentar em ser um dos príncipes de Pessoa, que não sabem traduzir a vida como nada além de sucesso.Por isso digo que ser humano está permitido. Que chorar borra o rímel, mas lava a alma. Gritar às vezes acalma e viver é pra quem tem alma.

Denise Carvalho

segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

O importante é não parar!



Na vida as coisas, às vezes, andam muito devagar. Mas é importante não parar. Mesmo um pequeno avanço na direcção certa já é um progresso, e qualquer um pode fazer um pequeno progresso.
Se não conseguires fazer uma coisa grandiosa hoje, faz alguma coisa pequena. Continua andando e fazendo. O que parecia fora do alcance esta manhã vai parecer um pouco mais próximo amanhã ao anoitecer se continuares a andar para frente. Vai rápido quando puderes. Vai devagar quando fores obrigado. Mas, seja, lá o que for, continua.
O importante é não parar!

sábado, 3 de dezembro de 2016

Vai-se andando!


Se hà coisa que detesto ouvir é : " Vai-se andando!". Que coisa!
Vai-se andando como quem diz vai-se empurrando com a barriga, sinónimo de podia estar melhor porque nunca nada está bem, nunca nada é perfeito mesmo para quem não tem de que se queixar.
Sugestão para todos... porque não mudar o discurso para um mais positivo? Porque não responder tudo óptimo? porque não agradecer por cada dia em que acordamos, por cada oportunidade de ver filhos e netos crescerem, por puder efectivamente respirar,ver,falar,sentir e amar!
Será que somos capazes disso? Será que conseguimos retirar o tom negativo das expressões e atribuir-lhe uma conotação positiva que transmita confiança? Acho que sim.
Bem sei que os tempos estão difíceis mas não eram mais difíceis ainda no tempo dos nosso avós? E eles não viveram? Viveram e retiraram das pequenas coisas grandes alegrias.
Talvez o segredo da felicidade seja mesmo adoptar uma vida mais simples, mais poupada e mais minimalista.
Reaprender a viver e conseguir afirmar sempre : ESTÁ TUDO ÓPTIMO!
Este sim é neste momento um dos mantras da minha vida.

Via :Miminhos de Casa

terça-feira, 24 de maio de 2016

Agora que já estás nos 36 anos é tempo de :


  • andar 3 km por dia
  • beber sumo de limão 
  • comer muita fruta 
  • ou então esquece tudo isto e aproveitar ao máximo cada dia.

    sábado, 7 de maio de 2016

    Quando a coisa aperta fico repetindo, mentalmente ou em voz alta, que está tudo bem, está tudo bem, está tudo bem.


    Ainda não sei ao certo se isso funciona, mas proporciona alguma segurança. Nós sabemos que a mente é poderosa, bem como nossos pensamentos. Por falar neles, inúmeras vezes os danados nos pregam peças. Surgem na calada da noite e perturbam o sono, aparecem sem convite e vão entrando, invadindo a alma, o coração e desestruturando nossos sentimentos. Na vida, todo mundo quer ter o controle remoto para mudar o canal quando a programação está ruim, chata ou tensa. O problema é que não temos o controle de nada, nada mesmo. É inútil tentar dominar o amanhã, já que o coitado ainda nem chegou. Não existe hora marcada, as coisas mudam a cada segundo.

    O meu maior sofrimento é não aceitar as coisas como elas são. Tudo é interrogação, mas eu insisto em querer uma garantia. Sei que apenas uma pequena parte depende de mim. Peraí, será que é mesmo tão pequena assim? Se nós colhemos o que plantamos, uma parte imensa depende de mim (concorda?). São os atos de hoje que vão proporcionar um resultado positivo ou negativo amanhã ou depois. Por isso, procuro fazer o que posso. Mas tenho consciência que o que posso nem sempre é o melhor. E aí entro novamente num duelo sem fim comigo mesma: como assim não faço o melhor? Como assim não dou o que há de mais especial e incrível em mim? Quer saber? Não sei se me acho tão incrivelmente especial assim. Não aceito meus defeitos, duvido de algumas qualidades, volta e meia tropeço na minha autoestima que fica por aí, jogada em algum canto. Ela sofre, coitada. Sofre de abandono, é uma carente de afeto e colo. Acho que sou meio malvada com ela.

    A verdade é que a autoestima não é minha best friend forever. Muitas vezes esqueço de convidá-la para eventos especiais, nem sempre a recebo com toda a atenção e delicadeza que ela merece. Erro feio com a coitada, que merecia tapete vermelho, espumante da melhor qualidade e uma massagem relaxante nos pés. Prometo tentar melhorar nesse ponto. E em vários outros, afinal, perfeição é uma palavra linda, mas só existe no dicionário.

    quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

    Pensamento da noite

    Photo by @zanitazanita
    Não existe o momento certo e nem o errado na vida, o que existe é aquele momento em que devemos abrir a janela para o medo voar. Parece simples, mas não é.

    Clarissa Corrêa



    quarta-feira, 26 de novembro de 2014

    A minha tolerância acabou, o encanto acabou, a minha intuição sente à distância uma cabecinha ruim. Não aceito mais ser amiga de gente mal resolvida e que me atraiçoa pelas costas. Não tenho raiva de ninguém, mas a minha prioridade agora é só uma: EU. Podem chamar-me de egoísta, eu aceito.


    What Would Olivia Palermo Do ?

    Pensamento da noite

    O que eu gosto de gente de verdade. Daquelas que vão a jogo independentemente de tudo. Gosto de gente que chora e ri ; gente com sentido de humor;gosto de gente que gosta de gente de verdade; gente que sente; gente que cai e se levanta; gente corajosa ; com atitude; que se tiverem que mudar de rumo 37876648719 vezes na vida para serem felizes , o fazem; gosto de gente que diz , que olha nos olhos para dizer; (...) de gente que mexe comigo; gosto de gente que implica comigo; gosto de gente que me faz sentir gente. In Este Blogue precisa de um nome

    What Would Olivia Palermo Do?

    sexta-feira, 17 de outubro de 2014

    Pensamento Da Noite


    Uma parte da gente quer acreditar que o mundo ainda tem jeito, basta as pessoas tomarem jeito. Já a outra parte é um tanto desacreditava, visto que todos os dias surge alguma desgraça ou tragédia.
    Eu sei que o mundo dá voltas, é redondíssimo e que tudo o que sentimos, fazemos ou pensamos cedo ou tarde acaba voltando. Só não entendo porque ainda tem gente que insiste em ser ruim. Não entendo como um coração pode ser pesado, cheio de maldade, impureza e covardia. Não entendo como um coração pode ser vazio, sem amor, sem respeito, sem carinho. Não entendo. Desculpa, mas não entendo. (...) Me desculpa, mas eu nunca vou me conformar ou achar normal esse tipo de coisa. Está faltando amor, compaixão, doação, caridade e respeito. E quer saber o pior? Não sei onde tudo isso vai parar. Não sei onde nós iremos parar.

    Clarissa Corrêa